segunda-feira, 13 de maio de 2019



O fruto de um milagre.

Às vezes a gente se desencontra. Neste momento, que pode ser de desespero, é bom demais ter por quem chamar. Pode ser um pai nosso, pode ser uma amiga, pode ser uma prática de respirar com atenção por 5 min.

Mas por fim, de algum modo, tem um calor que vem do cuidado que recebi em doação.
Se estou viva é porque vivi o calor do cuidado por um tempo fundamental. Pode ser de um homem, ou de uma avó, mas é algo do feminino que aconchega o amor de mãe que nutre, responsável pela humanidade que carrego.

Neste dia das mães, muita gratidão às mulheres todas da minha vida que trouxeram este calor que trago bem vermelho por dentro, e que sou eu.

Paula Lira : Psicóloga Clínica Especialista em Gestalt-terapia e Abordagem Cenrada na Pessoa (UNICAPE). Mestra em Antropologia da Arte (UFPE). Psicoterapeuta (CRP-2 9660). Profissional de Mindfulness pelo Instituto Atentamente de práticas meditativas na saúde.
f: paulaliragestaltterapeuta

bordado:Insta@clubedobordado